15 de agosto de 2014

Cometa Halley. Em 2061 você poderá ver de novo.

Cometa Halley
       
       Há pelo menos 23 séculos o cometa Halley, visitava a Terra periodicamente causando reações de espanto, de susto e temor às pessoas.
    As aparições súbitas e imprevisíveis dos cometas e suas configurações espetaculares como astros com cabeleira e cauda originaram pânico e terror ao homem primitivo.
      Cometa deriva do grego "aster kometes" que significa "astro cabeludo"
     Newton desenvolveu um método geométrico que permitia ajustar o trecho observando trajetórias dos cometas a uma parábola.

 
Edmond Halley
 
 Seu colega Edmond Halley (1656-1742), convencido da veracidade das sugestões de Newton, aplicou o método da parábola ao cômputo das órbitas de 24 cometas que haviam sido observados. Com enorme surpresa, comprovou que os cometas de 1531, 1607 e 1682 (este por ele observado) apresentavam praticamente os mesmo elementos orbitais, configurando trajetórias muito similares, com períodos de 75-76 anos. Tais coincidências surgiriam três aparições de um mesmo cometa, e não três cometas distintos em 1531, 1607 e 1682. Nas suas Memórias, escreveu Edmond Harlley:
"...Tal é o acordo dos elementos desses três cometas que seria bem surpreendente se fossem três cometas que seria bem surpreendente se fossem três cometas distintos, ou então se não se tratasse de três retornos de um mesmo cometa, em uma órbita elíptica muito perto da Terra e do Sol. Portanto, segundo nossa predição, se retornar de fato por volta de 1758, a posteridade recordará que é um inglês que se deve a descoberta."
     A expectativa de retorno do cometa crescia à medida que se aproximava o ano de 1758. O cometa foi avistado por um astrônomo amador de Dresde, Alemanha, no dia de natal de 1758, confirmando a predição de Edmond Halley, que havia falecido há 16 anos! Como não poderia deixar de acontecer, em justa homenagem, o cometa recebeu seu nome. De 1758 em diante ficou conhecido como o Cometa Halley.

       Atualmente os cometas são  visualizados com um núcleo sólido de poucos quilômetros  de diâmetro e constituído por materiais voláteis congelados, poeira e pequenos fragmentos rochosos. Sua cauda é devido a radiação solar e dos ventos solares, que ao se aproximar do Sol ocasiona a liberação de gases, dando origem a cabeleira. Quanto mais próximo do Sol, maior será a cauda do cometa, como se pode observar na representação abaixo. 
Comparação do tamanho da cauda ao se aproximar do Sol.
         Para se ter uma ideia do tamanho da cauda de um cometa; o Grande Cometa de 1843 tem  300 milhões de quilômetros, o dobro da distância Terra-Sol.
          A última vez que o cometa Halley passou pelo planeta Terra foi em 1986, e a próxima  vez que será visível em praticamente toda a Terra será no ano de 2061.
      Obviamente, o conhecimento mais profundo e detalhado da química cometária para a explicação do que são cometas dependerá de estudos in situ (no lugar), só possíveis por meios de sondas espaciais. Em novembro de 2014, a sonda espacial Rosetta pousou no cometa para melhores detalhes.

Órbita do Cometa Halley.

Referência bibliográfica.

Machado, L. E. S. Fernadez, J. A. Ao encontro do Halley. Rio de Janeiro: Guanabara. 1985. 93p.

Nenhum comentário:

Postar um comentário